Gestão da inovação A ISO 56002 (Gestão da inovação - Sistema de gestão da inovação – Orientação) abrange todos os aspectos da gestão da inovação, desde a geração da ideia até a inserção de um novo produto no mercado. A norma poderá ser aplicada a todos os tipos de organizações, independe do setor ou tamanho, para todos os tipos de inovações (produto, serviço, processo, modelo e método, variando de incremental a radical) e todos os tipos de abordagens (inovação interna e aberta, atividades de inovação orientadas ao usuário, ao mercado, à tecnologia e ao design). A ISO 56003 (Gestão de Inovação - Ferramentas e métodos para a parceria em inovação – Orientação) fornece uma abordagem estruturada para organizações que buscam inovar em parceria com outra organização. A ISO/TR 56004 (Avaliação de Gestão da Inovação – Orientação) visa ajudar as organizações a revisar de forma mais eficiente seus processos de gestão da inovação, para que seu desempenho melhore continuamente.  A ISO 56002 (Gerenciamento de Inovação - Sistema de Gerenciamento de Inovação – Orientação) oferecerá orientações para o desenvolvimento, implementação, manutenção e melhoria contínua de um sistema real de gerenciamento de inovação. Estamos vivendo a quarta Revolução Industrial e a inovação é fundamental para o desenvolvimento social e econômico da sociedade. As empresas necessitam se reinventar e se destacar entre a concorrência, além disso, precisam evitar a descontinuidade de seus produtos e serviços. Porém, a gestão da inovação deve ser eficaz para permitir melhor resultado e envolvimento da equipe, além de estimular melhorias e inovações constantes.

Estrutura facilmente integrada

A ISO será o start para mudança do mindset da empresa, mudança da cultura, quebra de paradigmas, e o estabelecimento de processos simples e funcionais que proporcionam atuação rápida diante das mudanças. É importante destacar que a ISO 56002 possui estrutura que será facilmente integrada a outras normas como, por exemplo, ISO 9001, ISO 14001 e ISO 45001. Muitos são os benefícios com a implementação de um sistema de gestão da inovação: internos, externos, culturais, organizacionais e de mercado, que refletem em valores financeiros e não financeiros. Um sistema de gestão da inovação é essencial para todas as empresas que precisam se reinventar, aumentar sua carteira de ofertas, aprimorar sua eficiência e alavancar a cultura de criatividade, colaboração e se manter competitiva.">
descer
SENAI
Big data e indústria 4.0: entenda conceito e relação com sua empresa

Acredite: a informação não é um privilégio, mas uma absoluta necessidade. No cenário competitivo em que todas as empresas estão inseridas, apenas aquelas que entendem o valor da informação podem alcançar sucesso em seus empreendimentos. Estas informações iluminam o gestor para ações essenciais que resultam em maiores lucros. Por assim ser, o conceito de Big Data se consolida e justifica o crescimento de empresas de gigantescas receitas, como McDonald’s, Apple, Google e outras.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Big Data corresponde à “habilidade de coletar, armazenar e analisar grandes quantidades de dados, gerados pelas mais variadas fontes digitais (sistemas internos de empresas redes sociais, transações comerciais, informações transmitidas de máquina a máquina etc.) e que, entre outros benefícios, podem ser usados para identificar ineficiências e problemas no gargalo da produção e interferir na tomada de decisão”.

Dessa forma, a importância dessa tecnologia para indústria está alojada em, basicamente, três essenciais pilares: disponibilidade de dados, serviço especializado crescente e alta aplicabilidade.

Disponibilidade de dados

São diversas as fontes de dados disponíveis, como APIs (Application Programming Interface), banco de dados da própria indústria e resultados do uso de IoT (Internet of Things – Internet das Coisas, em português). Através de muitas APIs, informações precisas (como tempo, tweets e trânsito) podem ser colhidas de forma legal, gratuita e simples. Os bancos de dados de qualquer indústria passam a ter sua importância alavancada. Assim, as informações que antes eram tidas como simples características de um período passado passam a ser decisivas para o futuro da empresa. Além disso, por meio da adoção da tecnologia IoT, os dados enviados de máquina para máquina podem ser colhidos de forma precisa e automática.

Serviço especializado crescente

É crescente o interesse de profissionais e estudantes interessados em seguir carreira em Análise de Dados e, consequentemente, trabalhar com Big Data. De acordo com um artigo publicado na Harvard Business Review, escrito por Thomas H. Davenport, os cientistas de dados, responsáveis por análises de Big Data, deverão estar entre os profissionais mais requisitados do mercado neste século. Assim, cada vez mais, as indústrias tendem a tornar profissionais desse campo em integrantes de seu time de colaboradores.

Alta aplicabilidade 

Desde o setor de manutenção de máquinas, cadeia de produção até a análise do ciclo de vida do produto, o Big Data pode ser relevante. Por consequência, entre as muitas vantagens estão as ofertas de produto focado no perfil do consumidor, as tomadas de decisão com maior infalibilidade e a antecipação de cenários e problemas.

Assim, na era da informação e da conectividade, a tecnologia avança como solo fértil e acessível para que indústrias alcancem o desenvolvimento de soluções inteligentes, obtenham redução direta de seus custos e garantam maior aproximação com o consumidor final.

Miquéias Silva Araújo

Sobre o Autor: Miquéias Silva Araújo

Mestre em Engenharia Elétrica e da Computação e graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Ceará - UFC. Possui experiência em algorítimos de MPPT, Inteligência Artificial, Energia Fotovoltaica e docência em Engenharia. Atualmente trabalha com os seguintes temas: Análise de Dados e Internet of Things (IoT).
Currículo Lattes
Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *