Usando a Nike como exemplo

Do dia 30 de agosto ao dia 3 de setembro a Nike suspendeu as atividades da sede em Oregon, com o intuito de que os colaboradores tivessem mais tempo para priorizar a saúde mental. 

O CEO da empresa explicou que essa ação é importante especialmente após esse período incomum, ou seja, a pandemia, em que a saúde mental é, e foi muito neglicenciada. 

A mensagem da empresa foi muito clara: “Não trabalhe!”. A semana de folga foi dada para que os colaboradores relaxassem, descansassem, desestressarem e aproveitassem um tempo com os familiares e amigos. 

Mas, a Nike não é a única empresa a se preocupar com doenças mentais. Como o índice de depressão se mostra crescente na população, diversas empresas estão se preocupando com os possíveis problemas mentais de seus funcionários. 

O programa personalizado da Amazon 

Outro exemplo dessa preocupação é a Amazon. A empresa criou um programa personalizado para suporte de colaboradores e familiares, além de palestras recorrentes com informações sobre doenças mentais.

Mas não para por aí. A empresa também incentiva a buscar ajuda em caso de pessoas com transtornos mentais, oferecem ajuda especializada para que os funcionários possam lidar com doenças como ansiedade, depressão, transtorno afetivo bipolar e etc. 

Como você pode implantar o Setembro Amarelo na sua empresa? 

Você já entendeu a importância de realizar ações durante o Setembro Amarelo ou em qualquer outro mês de conscientização, como o Janeiro Branco, Outubro Rosa ou Novembro Azul, não é mesmo?

Então, provavelmente você quer saber como implementar essas ações na sua empresa. O primeiro passo é definir um setor que fique responsável por propagar a cultura e engajar os colaboradores em toda organização.

E depois disso, basta se programar. Com pelo menos um mês de antecedência, você e sua equipe podem definir quais serão os objetivos e o foco da campanha. Dessa forma, fica muito mais fácil preparar tudo tranquilamente. 

Abaixo separamos algumas dicas que podem ajudar você: 

O próprio site do Setembro Amarelo pode ajudar sua empresa

No site Setembro Amarelo você encontra vários materiais disponíveis para download falando sobre o tema. Se você quiser fazer sua própria cartilha, não tem problema. Você pode aproveitar os materiais oficiais e personalizá-los de forma a adequá-los para o tom da sua empresa. 

Você também pode usar essas informações para enviar e-mails marketing internos. Assim, o colaborador fica sabendo mais sobre o assunto e pode também reconhecer quando um colega precisa de ajuda, por exemplo.

Rodas de conversa ou palestras 

Você pode criar momentos de trocas entre seus funcionários por meio de palestras ou rodas de conversa, por exemplo. Uma dica é convidar profissionais para falarem sobre os sintomas, causas e soluções. Com esses momentos, é possível que os colaboradores estreitem laços e conversem sobre expectativas e sentimentos. 

Aqui no SENAI também fazemos várias ações não apenas durante o mês de Setembro, mas no ano todo. Temos oficinas, bate-papos, talk-show e diversas outras ações de conscientização com docentes e alunos. Afinal, não dá para descuidar da saúde mental, ainda mais em tempos de pandemia, concorda?

E até o fim do mês, ainda teremos também outras ações com as unidades do SENAI Ceará e uma LIVE, em parceria com o Jornal O Povo, no dia 30/09, às 11h, no Facebook e no YouTube do O Povo com o tema “Saúde mental dos colaboradores na pandemia”. Já anota na agenda para não perder, hein? 

Gostou do artigo? Nós do SENAI esperamos que sim! Que ele tenha sido esclarecedor sobre o tema e sobre as ações de Setembro Amarelo para você aderir na sua empresa e conscientizar seus colaboradores! Até mais! 

">
descer
SENAI
Afinal, inovação e invenção são a mesma coisa?

Atualmente, muito se escuta falar na estratégia da inovação como um diferencial competitivo. Inúmeras empresas buscam pelo novo como uma estratégia para levá-la à frente dos concorrentes, por isso, a inovação tem o impacto cada vez maior, independente de qual seja o negócio.

Por mais que não pareça, a inovação é algo simples, no entanto, é necessário entender a sua verdadeira definição. Não se trata de uma invenção, de uma descoberta ou de uma fórmula matemática, mas sim de um processo de mudança, de aplicação prática de ideias e tecnologias para fazer algo novo e melhor. Assim, é necessária uma mudança mental e cultural, pois vai além das regras e, na maioria das vezes, gera riscos que precisam ser assumidos.

Ocorre que muitas pessoas acreditam que ser inovador é simplesmente criar algo que nunca foi concebido. De fato, para inventar ou criar é necessário passar por um processo de vontade, mentalidade, conhecimento, informação e criação. No entanto, isso não significa que a invenção será bem aceita pelo mercado, ou seja, pode não se tornar uma inovação.

Podemos dizer que inovação é a exploração de novas ideias. Em outras palavras, significa aumentar o faturamento e conquistar novos mercados. Não se trata apenas da criação de um produto, pois o investimento em melhoria de processo, gestão e mercado pode aumentar as margens de lucros, entre outras vantagens, para a empresa.

A inovação em processos diminui custos. A inovação em produtos amplia a participação da empresa em seu ramo de atuação. A inovação em mercado abre novas oportunidades. E a inovação organizacional melhora a gestão.

Então, de forma objetiva, a invenção surge de um processo criativo, mas torna-se inovação apenas se chegar à sociedade e produzir algum efeito. Dessa forma, se atender às necessidades e expectativas do mercado, for viável do ponto de vista econômico, for sustentável e oferecer retorno financeiro às empresas, estaremos falando de inovação.

Portanto, inovação é diferente de invenção. Invenção tem a proposta de trazer ao mundo algo que não existe, apenas isso, criar algo novo, sendo um requisito para patenteabilidade. A inovação surge com a melhoria de um produto, processo ou serviço já existente ou a criação de algo novo que seja absorvido pelo mercado e gere negócio.

Por fim, compreender a diferença entre esses dois pontos é de fundamental importância para a empresa que pretende se destacar no mercado através da inovação. A invenção, resultado de uma boa pesquisa e estudo de mercado, pode se tornar um produto inovador, garantir a diversificação do portfólio da empresa, além de ganhos através da exploração da patente.

O Núcleo de Inovação Tecnologia do SENAI oferta serviços de busca de anterioridade, através do qual identifica o caráter inventivo de um produto e analisa o potencial de patenteabilidade, por meio do requisito de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial. Além disso, contribui com o ecossistema da inovação quando prepara as tecnologias desenvolvidas para entrar no mercado por meio da transferência de tecnologia.

Ronara Aragão

Sobre o Autor: Ronara Aragão

Advogada pela Universidade Fortaleza - UNIFOR, MBA em direito tributário pela Faculdade Estácio de Sá (2017), mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia pelo Instituto Federal do Ceará - IFCE. Atualmente é consultora Técnica do Núcleo de Inovação Tecnológica do SENAI Ceará.
Currículo Lattes
Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *